Mania de Entender

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Desesperados pela vida

Afogamento é algo paradoxal em si mesmo e eu explico.
O afogado é aquele que está desesperado para viver, mas que no seu desespero tende a sufocar e afogar o salva-vidas que o socorre. É alguém que está rodeado de uma realidade que o agonia e que literalmente lhe tira o fôlego, mas é alguém que se debate arriscando a vida do seu próprio salvador. Ao mesmo tempo é alguém que não tem forças em si mesmo para vencer a situação aterradora em que se encontra e que precisa de um auxílio externo que mude a sua sorte.
A vida é algo paradoxal em si mesmo e eu explico.
O Ser Humano é aquele que está desesperado para conhecer a vida quando a vida só lhe apresenta a morte. A morte das instituições, a morte do respeito, a morte dos limites, a morte do planeta. Viver é eguer a mão em meio ao sufoco da busca pela esperança, da busca pelo sentido e da busca pela felicidade. É tentar acertar quando o certo já foi acertado e quando e erro não é mais errado. É mergulhar na amplidão do conhecimento e se afogar na falta de opção. É andar rodeado de gente e estar só em meio a multidão. Sim, a vida que esta vida nos apresenta é um paradoxo; um paradoxo que sufoca e que indiscriminadamente afoga.
E é justamente neste mar de esquecidos que Jesus se arremessa. E enfrentando as ondas bravias ele se lança mesmo sabendo que muitos viveriam o novo momento sem nunca se lembrar do salvador. É em meio ao nosso sufoco que abre os seus braços revelando que nele está a nossa salvação. E como afogados que somos nos debatemos. Queremos subir enquanto o afogamos, queremos ser vistos enquanto ele desaparece embaixo de nossa falsa independência e autosuficiência momentânea. Respiramos por pouco tempo sem nos darmos conta de que sem ele sucumbiremos eternamente em meio as ondas da perdição. Mas ainda assim ele não desiste de nós. Como o maior dos salva-vidas está disposto a morrer pelo que está morrendo. E percebendo nosso desespero, não mede esforços em ser o meio para que alcancemos a vida. É agredido e vitimizado, mas com a sua morte ele cumpre a sua missão. A missão de nos dar a verdadeira vida, não mais na fluidez dos mares, mas firmados na rocha. Em uma nova realidade onde o afogamento existencial já não mais existe.
É somente através da confiança e da rendição que o afogado se permite salvar. Portanto, em meio às ondas bravias que te sufocam eu te convido a confiar em Cristo, a se render em sua presença e a se lançar em seus braços!
"Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto"

2 comentários:

rubenita disse...

parabéns pelo texto... continuas nos tirando da mesmice!!!

louvo à Deus por sua vida!!

abração.

ruby

Marlene Maravilha disse...

Parabéns!
Gosto de textos que edificam!
Deus te abençoe!
abraços,